Ficha de autora

Alda Lara
Médica e escritora

A Câmara Municipal de Lubango (ex Sá de Bandeira) instituiu o "Prémio Alda Lara" para a poesia, depois da morte da autora.

Lara, A. (1952). Acerca da necessidade do "Auxílio médico às missões". Coimbra: Tip. Imprensa de Coimbra.

 

Lara, A. (1960). Deficiências psíquicas provocadas por carência de cuidados familiares (Tese de licenciatura¹). Universidade de Coimbra.

 

¹ em Psiquiatria Infantil.

Andrade, G. & Cosme, L. (1963). Mákua (vol. 3). Sá da Bandeira: Imbondeiro.

 

Burness, D. (1989).  A horse of white clouds: poems from lusophone Africa. Ohio: Ohio University.

 

César, A. (1969). Contos portugueses do Ultramar. Porto: Portucalense Editora.

 

Ferreira, M.(1975-1976). No reino de Caliban. Antologia panorâmica da poesia africana de expressão portuguesa II: Angola, São Tomé e Príncipe. Lisboa: Seara Nova.

 

Ferreira, S. (1975). Resistência Angolana. Lisboa: Diabril.

 

Lois, X. G. (1998). Antologia da poesia feminina dos PALOP. S.l. : Laiovento.

 

Marques, I. G. & Ferreira, C. (2021). Entre a lua, o caos e o silêncio: A flor. Lisboa: Guerra&Paz.

 

Nobre, M. C. (1957). Antologia de poesias angolanas. Nova Lisboa.

 

Secco, C. T. (2000). Antologia do mar na poesia africana de língua portuguesa do século XX: Angola. Luanda: Kilombelombe.

 

Soares, F. (2001). Antologia da nova poesia angolana (1985-2000). Lisboa: Imprensa Nacional/Casa da Moeda.

 

Soares, F. (2019). Antologia Lírica angolana. Roteiro mínimo. Campinas: UNICAMP, 85-88.

Ativa frequentadora da Casa dos Estudantes do Império. Irmã do escritor Ernesto Lara Filho. Casada com o escritor Orlando de Albuquerque, o qual se encarregou da publicação da obra póstuma da poeta.

Albuquerque, O. de. (1966). Alda Lara, a mulher e a poetisa. Luanda: Imbondeiro.

 

Alfredo, M. (1980). Esboço de interpretação da poesia de Alda Lara. Em Estudos sobre Literaturas das Nações Africanas de Língua Portuguesa (pp. 299–307). Lisboa: A Regra do Jogo.

 

Amandio, C. (1978). Alda Lara na moderna poesia de Angola (Edições do Templo). Braga.

 

Bernardo, A. P. (2013, novembro 23). Alda Lara – Textos dispersos. Cultura – Jornal Angolano de Artes e Letras online, (42).

 

Bernardo, A. P. (2013, dezembro 14). Perfil de Alda Lara. Cultura – Jornal Angolano de Artes e Letras online, (44).

 

Bernardo, A. P. (2014, janeiro 3). Perfil de Alda Lara II. Cultura – Jornal Angolano de Artes e Letras online, (45).

 

Bernardo, A. P. (2014, janeiro 23). Textos dispersos de Alda Lara. Cultura – Jornal Angolano de Artes e Letras online, (46).

 

Bernardo, A. P. (2016). Alda Lara e a imprensa do seu tempo. Em L. Areais & L. da C. Pinheiro (Coord.), As mulheres a imprensa periódica (pp. 67–84). Lisboa: CLEPUL.

 

Burness, D. (2000). Children in the poetry of Alda Lara. Em H. Wylie & B. Lindfors (Eds.), Multiculturalism and hybridity in African literatures. Trenton: African World Press.

 

Carla, F. (2008, novembro). Poemas de Alda Lara: Para uma leitura da infância. Revista Crioula, (4), 1–19.

 

César, A. (1978). Alda Lara na moderna poesia de Angola.  Braga: Edições do Templo.

 

Everdosa, C. (1974). Roteiro da Literatura Angolana. Luanda: Edição da Sociedade Cultural de Angola.

 

Freitas, S. R. F. de. (2020). O mar, o rio e a maternidade na poesia de Alda Lara. Revista Ecos, 29(2), 194–209.

 

Martinho, A. M. (1997). Alda Lara. Em Biblos. Enciclopédia Verbo das Literaturas de Língua Portuguesa (pp. 1348–1349). Lisboa: Tipografia S.A.

 

Mata, I. (2001). Literatura angolana: Silêncios e falas de uma voz inquieta. Lisboa: Mar Além.

 

Oliveira, J. (2009). Secreta encruzilhada: Duas vozes femininas que (se) (trans)formam (n)a poesia angolana. Revista Scripta13(25), 127–144.

 

Oliveira, J. (2014). Vozes femininas nas literaturas africanas de língua portuguesa. Contexto, (25), 80–95.

 

Passos, J. (2013). Alda   Lara: Figura   fundadora   da   poesia   angolana. Em A. G. Macebo, C. M. de Sousa, & V. Moura, Humanidades: Novos paradigmas de  conhecimento  e  da  investigação (pp. 71–85). Vilanova de Famalicão: Húmus.

 

Pereira, E. A. (2010). De  missangas  e  catanas: Construção  social  do sujeito  feminino  em  poemas  angolanos,  caboverdianos,  moçambicanos  e sãotomenses  (análises  das  obras  de  Alda  Espírito  Santo,  Alda  Lara, Conceição Lima, Noémia de Sousa, Paula Tavares e Vera Duarte). (Tese de doutoramento). Universidade de São Paulo, São Paulo.

 

Pontes, M. E. M. (2010). Alda Lara: O poema como instrução e reconstrução da identidade angolana. 1–8. Florianópolis: UFSC.

 

Silva, Fabio Mario da. (2018). Quem vê olha e quem olha sente: Alda Lara e a poética das sensações. Em Literatura e intersecções de Gênero. Teresina: UESPI.

 

Silva, Fabio Mario da. (2019). Entre Portugal e Angola: Reflexões sobre a poética de Alda Lara. Revista Mulemba, 11(21), 12–21.

 

Silva, Fabio Mario da. (2022). Alda Lara: Poesia, conto e trabalho acadêmico. Revista da Academia Mineira de Letras.

 

Silva, Fabio Mario da, & Silva, P. G. e. (2016, janeiro/abril). Alda Lara e Florbela Espanca. Ser poeta é? Revista Fórum Identidades., 20, 13–23.

 

Silva, Fabio Mario da, & Silva, P. G. e. (2022). Alguns aspetos da obra Tempo de Chuva de Alda Lara. Em Fabio Mario da Silva, A. P. Tavares, & R. Fina (Coord.), Homenagem a Alda Lara. Lisboa: Edições CLEPUL/Húmus.

 

Silva, P. G. e, & Silva, F. M. da. (2017, outubro 27 a 28). O lar, o espaço e a casa. Análise do poema ‘Regresso’, de Alda Lara. 1–6. Recife, PE: EDUFRPE.

 

Silva, P. G. e, & Silva, F. M. da. (2019). Vozes do tempo em Alda Lara. Revista Entheoria: cardernos de Letras e Humanidades, 6(1).

 

Silva, Fabio Mario, & Silva, P. G. e. (2018). O feminino e a maternidade: Reflexões em torno de alguns poemas de Alda Lara. Em Sábados Literários. Elas por Elas. (Todas as Musas, pp. 185–209). São Paulo.

 

Silva, Fabio Mario, & Silva, P. G. e. (2018). Um canto triste de versos de maresia. Uma leitura da poética de Alda Lara. Interfacis, 4(1), 20–34.

 

Silva, F. M. da (2022). Alda Lara leitora de Fernando Pessoa. Em David, S. N.; Valentim, J. V.; Amorim, C.; Pinto, M. V.; Cruz. E. da; Castro, A. A. M. de; Vasconcelos, V.; Pereira, . L. S. (Org.). Texto, tempo, imagem: Interlocuções. XXVIII Congresso Internacional da Associação Brasileira de Professores de Literatura Portuguesa. Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Professores de Literatura Portuguesa, (no prelo).

 

Soares, F. (2001). Notícia da Literatura Angolana. [Col. Escritores dos Países de Língua Portuguesa, 22]. Lisboa: Imprensa Nacional – Casa da Moeda.

 

Soares, F. (2012). O soldadinho de chumbo no bergantim de papel de Alda Lara (blog).

 

Soares, M. L. de C. (2013). Um olhar sobre o humanismo e o telurismo da poetisa angolana Alda Lara. Letras com Vida, (6), 176–186.

 

Tavares, A. P.; Silva, F. M.; FINA, R., BUCAIONE, M. (coord.) (2022). Homenagem a Alda Lara. Lisboa: Edições CLEPUL/Húmus, no prelo.

 

Thompson, D. (2012). Alda Lara. Em E. K. Akyeampong & H. L. Gates JR (Dir.), Dictionary of African Biography (Vol. 3, pp. 469–470). Oxford: Oxford University Press.

Em desenvolvimento

Akyeampong, E. K. & Gates Jr., H. L. (2012). Dictionary of african biography. Oxford: Oxford University Press.

 

Elementos Biográficos

Alda Ferreira Pires Barreto de Lara Albuquerque
9 de junho de 1930
Benguela
30 de janeiro de 1962
Cambambe

Licenciada em medicina pela Universidade de Coimbra.

Dados de Inventário

Identificação dos inventariantes

Daniela Spina e Fabio Mario da Silva
Mariana Branco

logos das entidades apoiantes

 O IELT é financiado por Fundos Nacionais através da FCT - Fundação para a Ciência e Tecnologia no âmbito do projeto UIDB/00657/2020